A filha de lá

O seu nome eu mal sei escrever
O seu rosto tento me lembrar
Onde quer que eu ande não vou te esquecer
Eu estou no seu sangue e vou ficar

Pelo Brasil todo eu já andei
Em cada rosto eu te desenhei
Em muitos lugares como aqui eu parei
E fiquei a sonhar com seu olhar

Sem te conhecer dedico estas menções
Que se souber juntar formará o meu ser
Faço melodias e escrevo canções
Mas um dia, um dia irei te ver

Contemplar o seu sorriso
Certificar o que a mim foi dito
Que sua beleza exterior
É só menor que a interior
E do tamanho do meu amor

Nunca estivemos juntos
E ninguém é capaz de separar
Somos dois conjuntos
Unidos, sem se falar. Só amar.