Greve de fome

Estou há alguns dias sem comer. Faz-me mais falta a água do que o pão. O pão, que pouco tive. A garganta seca. Sinto o estômago já tão colado que não faz mais sentir dor. A única dor verdadeira vem da alma. Alma que sentirá a leveza em pouco tempo, se assim Deus permitir. Um sofrimento interior corrói os meus nervos, deixando a certeza de que nada mais pode ser feito. Se me vissem, meus olhos fundos e minha voz "pálida", com certeza pensariam em fazer alguma coisa. Mas é tarde. Eu não quis que fosse assim, talvez você também não quisesse. Mas estava tão ocupado, preocupado com sua aparência e em comprar bens, que acabou esquecendo de mim e de outros tantos pelo mundo. Uns até tão perto de você. Quando ultrapassamos a barreira do útero materno éramos iguais. Tenho dó de você. Assim que eu chegar ao céu, pedirei a Deus que não deixe faltar nada importante para você...