Janelas da vida

Da janela do quarto de hospital seu pai e amigos observam seu nascimento. Você não pode ouvi-los, mas sente a presença deles. E a vida segue.

Da janela da escola sua mãe observa seu primeiro dia de aula. Você não pode ouvi-la, mas acena com carinho. E a vida segue.

Da janela do ônibus escolar você observa seus amiguinhos. Você não pode ouvi-los, mas entende o gesto de cada um. E a vida segue.

Da janela de sua faculdade você é observado por uma grande empresa. Você não pode ouvi-la, mas ela vai te oferecer muito dinheiro e a sua vida vai mudar.

Da janela de sua casa você observa a rua. Do lado de fora uma criança pede pão, mas você não pode ouvi-la. E a vida segue.

Da janela da sua sala no trabalho você observa seus funcionários. Do lado de fora um trabalhador pede paciência. Mas você não pode ouvi-lo. E a vida segue.

Da janela do seu carro você observa a paisagem. Do lado de fora pés descalços pedem piedade. Mas você não pode ouvi-los. E a vida segue.

Da janela do avião você observa o mundo. Do lado de fora o povo pede igualdade. Mas você não pode ouvi-los. E a vida segue.

Da janela de seu caixão você observa as crianças, seus funcionários, os pés descalços e o povo, todos chorando sua morte, e pede perdão. Mas eles não podem te ouvir.

E a vida segue.