Por aí...

Nas andanças pelos interiores vi estradas e pontes. Vi o sol nascer e se por. Estive em lugares de belas paisagens. Também estive em lugares tristes, com casas simples e pobres isoladas do mundo. Sozinhas no meio de morros e serras. Quando muito com uma fumaça na chaminé, sinalizando que havia algo no fogão à lenha para o jantar. Sem energia elétrica ou água encanada. Em ruas sem asfalto e sem condições de tráfego. Mas com pessoas felizes... Lavradores, gente que cuida da terra pois sabe que ela é a parceira de seu sustento. Gente explorada pelas grandes empresas que comercializam o que eles plantam. Gente que, quando perde a colheita, ninguém é por eles... Mas, gente que continua na terra. Que acredita em um futuro melhor mesmo sabendo que o pior está por vir. Gente que acredita na chuva. Gente que acredita em Deus.