Praça da árvore

Árvore feita, que enfeita a praça
Faz-me transbordar de nostalgia
Traz-me esperança e lembrança
Dá-me paz, inspiração e alegria
 
Lembrar que te vi ainda criança
Acompanhei tuas primeiras chuvas
Enrolei teus galhos, tua única trança
Bailei ao redor de tuas curvas
 
Respeitei teu inocente desejo
De dar-me frutos o ano inteiro
Além de sombra com o gotejo
Da tua seiva, como primeiro
 
Bem aventurada é tua mãe, natureza
Sábia, inteligente, mas implacável
Que nos uniu na alegria e na tristeza
E rogou que te fosses sempre amável
 
Hoje é pé (corpo inteiro) de flor
Folhas verdes, tronco desenhado
Tem como fruto principal o amor
E como guardião tem-me ao lado
 
Quero espalhar tua semente
Transformar mudas de plantas
Em árvores que são como gente

 

Como tú, que aos poetas encantas